Hoje acordei a milhão. Me perguntaram se eu estava drogado e até chegaram perto para ver os meus olhos. Não vou saber explicar essa alegria. Nem quero. Mas o que me chama a atenção é as pessoas estranharem uma alegria natural que não tem nenhuma razão específica.

Às vezes, sou o cara que mais dança numa festa, ou um dos poucos a continuar pulando na arquibancada quando a última escola de samba cruza o portão de fechamento do desfile.

Claro que não acontece sempre. Tem dias que também me sinto sem energia, ou triste quando não acontece algo que eu queria. O que me causa estranheza é as pessoas acharem que tomei alguma coisa por estar tão alegre.

Quando alguém está triste, geralmente perguntamos o que aconteceu e não o que você tomou para estar assim. Porque ninguém toma algo para ficar triste. É como se a tristeza fosse natural e a alegria, não.

O meu convite é que o sentimento de alegria pela vida seja um dos itens na sua lista de pedidos.

Coisas boas e ruins acontecem na vida de todos nós. Mas pela bondade do seu Criador, a alegria, a paz estarão aí em seu coração o tempo todo. E, como crianças, elas esperam ansiosas pelo nascer do sol para começar um novo dia de cheio de aventuras.

 

Antonio Celidonio Rocha

Escritor e Coach para Propósito